HISTÓRIA

A referência à Villa Diogo não poderá ser feita, sem que se relacione a sua história com o patrono/benfeitor Diogo Silva e a freguesia de Cesar.

Diogo José da Silva, nascido a 21 de março de 1848, emigrou para o Brasil e fixou-se na cidade do Pará, onde acabaria por se casar.

Nunca esqueceu as suas origens, contribuindo com quantias avultadas para as obras públicas da sua freguesia: ampliação da capela-mor da igreja matriz, obras na igreja matriz de Cesar e requalificação da estrada, que atravessa Cesar, entre a Gândara e a Pedra Má.

Não se conhece a data do seu regresso a Portugal, contudo, a fortuna que reuniu no Brasil, concedeu-lhe a designação de capitalista.

Torna-se o 1º presidente da Comissão Paroquial Administrativa de Cesar, a 7 de janeiro de 1912, e aí permanece até ao ano da sua morte, a 16 de março de 1915. Durante a sua presidência, deu continuidade ao desenvolvimento local, construindo a Escola 5 de Outubro; denominando o largo da feira dos 18 de Praça da Liberdade; criando, em Cesar, a estação telegráfica e telefónica e concluindo o lanço de estrada de Cesar a Bustelo, por Nogueira do Cravo.

Na Gândara, fixa então a sua residência, um enorme palacete construído em 1906, que denominou de Villa Diogo.